quarta-feira, 6 de agosto de 2008

EM política, QUERO SABER TUDO

QUERO SABER TUDO

É um direito que tenho. Por eles, vou sair de casa e votar numa urna eletrônica; a partir daí, para o bem ou para o mal, eles me representarão. Exatamente por falarem em meu nome, quero saber tudo sobre os candidatos. Em primeiro lugar, a idade, a profissão, a capacidade de escutar o que os outros tem para dizer. Depois, como é sua família, se seus filhos são estimulados a estudar, se lêem, se são alegres e bem resolvidos, se a esposa não é apenas um enfeite ou uma vaquinha de presépio. Afinal, é deste nicho doméstico que eles saem, mais ou menos agressivos, mais ou menos atenciosos, mais ou menos saudáveis da cabeça.
Tenho medo dos políticos. Aprendi com Maquiavel que, em matéria de poder, não importam os meios desde que os fins sejam atingidos. Tenho medo porque, passados tantos séculos depois de Maquiavel, muitos políticos continuam pensando exatamente isso. Não entraram nas esferas da ética, mantiveram-se como aduladores, fazedores de conchavos aos quais nunca temos acesso.
Acordos políticos vão muito além das coligações que assistimos há pouco tempo nas convenções partidárias. Os maiores acordos acontecem na calada da noite, atrás de copos de uísque, com palavras ditas em baixo tom para que ninguém escute. Sempre envolvem questões de dinheiro, de protecionismo, de compadres, de ganhos pessoais. De vez em quando ainda se coloca mulheres no meio dos negócios e há quem registre sordidamente os encontros para futuras chantagens. Enquanto eles andam de carrões, a justiça do país caminha sobre carros de boi ou charretes engalanadas, dependendo do grau do magistrado.
Há sempre um palhaço de plantão. Ele é ótimo pois desvia as atenções do distinto público, o qual, perdido frente a tal parafernália de campanha, é tangido a votar com os dedos, mas sem usar a cabeça.
Tem mulheres que votam em candidatos bonitos; tem outras mulheres que não votam em mulheres porque acham que elas não são capazes de fazer boa política. A inconsistência dos eleitores provoca o desastre na composição dos governos. Por isso preciso saber tudo sobre eles: os políticos e o povo. E este, é um processo muito dolorido. São as dores do parto de uma verdadeira democracia.

5 comentários:

Francisco Castro disse...

Olá, gostei muito do seu blog. Ele é muito bom.

Parabéns!

Um abraço

vivajaguariuna disse...

Usei o seu texto, citando a autoria num blog que tenho, caso isso não lhe agrade eu apago, simplesmente achei gencial sucinto e veio de acordo com o que vivo atualmente na minha cidade onde temos um prefeito corrupto e que me persegue, segue o link, mas a partir de agora me tornarei seguidora fiel deste blog, meus cumprimentos, Silvana, Jaguariúna - SP

http://vivajaguariuna.blogspot.com/2012/01/em-politica-quero-saber-tudo-e-um.html

Anônimo disse...

Maquiavel, meu herói, sempre ensinou acima de tudo, que se deve possuir ética e valores, deve-se lutar pelos ideias que sejão melhores para o povo, que possam nutrir a glória e a riqueze não só do Líder, mas de todo o espaço que ele governa. Esses presunçosos não sabem o verdadeiro significado de Política, de liderança, se ser um 'governante'.
Além da inconsistência dos eleitores, temos a corrupção e a desonra dos 'eleitos'. Concordo com vc, é uma verdadeiro dor ver tudo isso acontecer.

Anônimo disse...

Maquiavel, meu herói, sempre ensinou acima de tudo, que os governates devem possuir ética e valores, devem lutar pelos ideais que sejão melhores para o povo, que possam nutrir a glória e a riqueza não só dos Líderes, mas de todo o espaço que eles governam. Esses presunçosos não sabem o verdadeiro significado de Política, de liderança, de ser um 'governante'.
Além da inconsistência dos eleitores, temos a corrupção e a desonra dos 'eleitos'. Concordo com vc, é uma verdadeira dor ver tudo isso acontecer.
Perdão pelos erros anteriores.

Feias mas na moda UAI, Sô! disse...

Olá...como vai! Sou professora, e sei que é um desafio a educação atual, porem quando cita que o povo precisa saber votar e para isso conhecer a vida de seu candidato...eu concordo plenamente...só que eu posso citar um dos vários problemas enfrentados.Nosso s alunos da rede estatual, são totalmente alienados com a mídia sexualizada e consumista, que muitos fazem apologia...enfim...além da família que está totalmente desestruturada...outro fator...os professores não estão preparados psicologicamente para atender essa demanda de alunos que estão alienados.